É visível que as pessoas estão cada vez mais preocupadas com a saúde e a qualidade de vida. Com isso, amplia-se também os setores ligados ao universo saudável, como o segmento de alimentos funcionais, que já figura entre os dez mercados que mais crescem no mundo.

Segundo pesquisa realizada pelo instituto internacional Euromonitor, o mercado de alimentos orgânicos e funcionais teve crescimento de 98%. Considerando apenas os alimentos funcionais, estima-se que o aumento alcance 15% até 2018. No Brasil, a tendência segue no mesmo ritmo: o país ocupa hoje a quinta posição no ranking mundial de vendas de alimentos e bebidas saudáveis.

VEJA TAMBÉM: Tendências do mercado de ingredientes naturais

Outro relatório, desta vez o The Top 10 Consumer Trends for 2017, que estuda as tendências do mercado, aponta também uma maior disposição dos consumidores para consumir mais produtos saudáveis, independente do preço. Segundo a pesquisa, 83% dos entrevistados têm disposição para gastar mais em uma alimentação saudável e 79% substituem produtos de alimentação convencional por opções mais saudáveis. Projeções como essas servem para auxiliar a indústria a vislumbrar oportunidades de mercado, como o desenvolvimento de novos produtos ou a adaptação dos que já existem.

Afinal, o que são os alimentos funcionais?

Os alimentos funcionais são aqueles produtos ou ingredientes que oferecem benefícios além das funções nutricionais. As vantagens extras podem estar relacionadas a efeitos metabólicos ou fisiológicos ao organismo e, quando associados à uma dieta regular, diminuem o risco de doenças crônicas, como câncer e diabetes, agindo como verdadeiros promotores da saúde.

É claro que os alimentos funcionais não são medicamentos, mas como grande parte deles é encontrada nos grupos de vegetais, frutas e cereais integrais, o consumo regular se torna muito benéfico à saúde, a exemplo da aveia, que é conhecida por conter fibras solúveis que ajudam a reduzir o colesterol.

Para citar mais alguns exemplos deste tipo de alimento, temos: brócolis, tomate, cenoura, goiaba, melancia, couve flor, pimentão, alcachofra, soja, feijão, ervilha, peixes, entre muitos outros. Também podem entrar nessa lista ingredientes enriquecidos com vitaminas, provitaminas e minerais, tais como iogurtes com probióticos que melhoram a saúde intestinal, ovos acrescidos de ômega 3 e farinha de trigo fortificada.

LEIA MAIS: 7 vilões da dieta